“Meu trabalho se caracteriza por um repertório eclético, que tem desde de a música caipira autêntica, até as infuências do rock progressivo e algo mais, sem rótulos”.

Nascido no Rio de Janeiro em 12 de junho de 1960, Marcos Mesquita da Silva veio para Brasília no mesmo ano e cresceu junto com a capital, recebendo a infuência da diversidade da Cultura Brasileira que se concentra na cidade.

Formado em música pela Universidade de Brasília e professor da Escola de Música de Brasília hà 28 anos, considera ser sua formação musical estruturada, dentro e fora dos meios acadêmicos. Suas principais infuências estão na década de 70, quando começou a se interessar pela música, e ouvia Dorival Caymmi, Gilberto Gil, Caetano Veloso, Quinteto Violado, Paulinho da Viola, Renato Andrade, Renato Teixeira, Zé Rodrix e Guarabira, e também Pink Floyd, Eric Clapton, Beatles, América, Crosby, Stills, Nash e Yong, e o melhor da música erudita. Nos anos 80 começou a ouvir mais a música caipira e conheceu Almir Sater, importante em sua formação.

Em 1991 deu início a sua carreira solo, se apresentando como “Marcos Mesquita e Banda”. Nessa trajetória gravou 2 álbuns “Em Algum Lugar Bonito...” em 1999 que recebeu o “Prêmio Renato Russo” da Secretaria de Cultura do Distrito Federal que selecionou os dez melhores Cds daquele ano e “Planalto Central” em 2005 que recebeu patrocínio do Fundo de Apoio à Cultura do D.F. e teve seu lançamento patrocinado pela Caixa Econômica Federal, sendo lançado no Centro Cultural da Caixa em Brasília. Em três décadas de atividades musicais se apresentou dentro e fora de Brasília em diversos eventos e festivais.

Além de músico, violeiro e professor, Marcos Mesquita é produtor cultural e realizou projetos como: “Viola no Parque” que reuniu violeiros de Brasília e de outros estados em parques do Distrito Federal; “Viola na Escola” realizando apresentações em Escola Públicas do D.F. , especialmente, em escolas rurais e de Ensino Especial; “Brasília Instrumental” reunindo a nata da música instrumental do Distrito Federal, e além disso produziu um “Encontro de Violeiros” na Sala Villa Lobos do Teatro Nacional Claudio Santoro, em comemoração ao Aniversário de Brasília; e produziu shows de artistas de peso como Almir Sater, Xangai, Dércio Marques, Juraíldes da Cruz e Rubinho do Vale.

Desde de 2014 vem sem apresentando em Duo com seu filho Vitor Mesquita, que já pertencia a sua banda há oito anos. Assim, compõem o duo “VIOLA PROGRESSIVA” com composições e arranjos inovadores, adentrando por caminhos nunca trilhados por outros violeiros, abrindo portas à novas percepções das potencialidades e recursos da Viola Caipira.

Meu trabalho se caracteriza por um repertório eclético, que tem desde de a música caipira autêntica, até as infuências do rock progressivo e algo mais, sem rótulos. Rompendo as fronteiras, fazendo a fusão da “música rural” com a “música urbana”, mostrando as potencialidades da viola caipira, não pretendo ter um estilo defnido, nem me prender a nenhum gênero musical. Sinto a música como uma energia que circula o universo e chega até a gente pela inspiração.”

Marcos Mesquita

.

  • Facebook - White Circle
  • Facebook - White Circle
  • YouTube - White Circle
  • Google+ - White Circle
Contato:

Vitor Mesquita
+55  (61) 9 9981 7776
violaprogressiva@gmail.com

Assessoria de imprensa
Raquel Mesquita

 + 55 (61) 9 9989-3223 

produtoraraquelmesquita@gmail.com
Release | Fotos oficiais | Logotipos

Me siga nas redes sociais

  • Facebook - White Circle
  • Facebook - White Circle
  • YouTube - White Circle
  • Google+ - White Circle